quarta-feira, 1 de abril de 2009

E se Silvio Santos fosse um mafioso?

Uma imagem se espalha na mídia. Uma criança, uma palavra apenas. Um risco para um homem.




Enquanto isso, no covil do homem do baú uma voz maquiavélica ecoa das sombras:
- Isso requer medidas drásticas padrinho!
- O que você sugere Maisa?
As perninhas moviam-se lentamente enquanto os cachinhos de seu cabelo dançavam uma melodia fúnebre e fria. Aproximou-se com calma e serenidade ao lado da grande poltrona do patrão, enquanto dirigia seu olhar gélido para a janela e colocava seus braços pra trás.

- Já mandei meus homens atrás dela. - Sua voz escapou com um sorriso macabro.

- Maooê Maisa, Ihiiii, mas como você é apressadinhaamm!

- Ela traiu o movimento cara! Querendo ou não, ela é um risco.

O Patrão levou a mão até sua coleção de Diplomaticos. Apreciou o aroma do charuto por dez longos segundos, levou-o até o candelabro que amenizava as trevas dentro da sala. Deixou o fogo arder a ponta do charuto e o conduziu até a boca. Deu uma tragada profunda e soltou a fumaça com um imponente sopro no ar. Finalmente o silêncio foi rompido:

- Eu não gosto de violência, Maisa. Eu sou um empresário; sangue é um grande gasto.

- Essa criança vai nos trazer mais problemas do que você imagina. Esqueceu da garota da piada do bambu? A Yakuza ainda se vangloria daquele feito.
Inesperadamente o Homem do baú deu um forte soco no braço da poltrona. Fria e suave Maisa permaneceu intacta ao lado da fúria repentina ao seu lado.
- Boca suja!!! Sem vergonhamm!!! Sem vergonhamm!!! - Bramiu com os olhos cheios de ira.
- Fique calmo padrinho, isso já passou.
Rapidamente o homem repleto de fúria desapareceu e logo voltou a ter aquela velha aparência ríspida e fria. Levou o charuto até a boca enquanto erguia o rosto para o alto dissipando a fumaça pelo ar.
- Hihiiiii!!!! - Soltou a gargalhada como se tivesse perdido a razão naquele momento.

Se fosse com Raul ela tinha certeza que não saberia o que fazer. Mas era Silvio agora, e as coisas haviam mudado. Maisa sempre mantinha sua postura na frente do padrinho e já tinha aprendido a lidar muito bem com seu gênio forte. Na verdade Maisa se divertia ao ver ele assim, a sensação de dependência que ele lhe passava era prazeroza. Don Santos interrompeu seu breve momento de loucura com um convite oportuno.
- Desculpe minha falta de educação e respeito minha pequena. Aceita uma bebida?
Levantou-se de sua poltrona e dirigiu-se até o bar no canto da sala.
- Então, o que vai ser? - Perguntou com um tom desafiador.
Maisa que ainda permanecia intacta em frente à janela, girou rapidamente seu corpo na direção do bar andando tranquilamente até a bancada que era maior que ela. Esticou seus pés até ficar na ponta dos dedos.
Naquela altura o homem do baú só enxergava os pequenos olhos da menina com suas mãozinhas agarradas à bancada do bar. Mas ainda assim podia ver bem claramente a frieza em seu olhar e sabia que a resposta ao desafio viria em breve. Assim aconteceu. Maisa fitou os olhos do Patrão e sua resposta foi seca como sempre.
- Leite.
O Padrinho continuou encarando a menina. Sabia que ainda faltava algo.
- Sem açúcar. - Disse pausadamente mantendo os olhos fixos no homem.
- Ihiihiii, essa é a minha menina. - Comemorou enquanto despejava o líquido branco na canequinha de plástico.

Continua.
Bem, espero que gostem dessa pequena saga. Rs. Logo logo tem mais. Divirtam-se.
Fique à vontade para divulgar, lógico. Valeu. E pra tirar dúvidas, sim fui quem escreveu.

9 comentários

Floradas de amor disse...

Gosteii!!! O Silvio e a Maisa se merecem são mto chatinhos, vou voltar pra conferir a continuação!
=D

machado disse...

mto bom o texto!!

(cheguei via Chongas. aliás, se o "post em branco" continuar, vc podia sugerir esse post lá.)

André disse...

Você escreve mto bem, gostei mto das suas descrições hehe. Parabéns, ótimo post.

adolescencte disse...

Bem legal... Ótima história bem criativa... ^^

“a bancada que era maior que ela. Esticou seus pés até ficar na ponta dos dedos.” Esta parte ficou ótima kkkkkkkk

Cléber disse...

Pô, finalmente um post-só-com-texto que eu consegui ler até o final durante minhas passeadas pelo humor blogueiro. Parabéns, cara. Muito 10, hehe!

Diego Azevedo Sodré disse...

Maluco, que conto brilhante! muito bom, parabéns! Qro saber a continuação!

Junior disse...

Cara, tô chorando de rir dessa parada... Dá pra virar uma novela...

o mexicano disse...

el,roy (o mexicano) tinha que fazer uma é com a xuxa e seus baixinhos., mas ficou bom ..... aquela menina as vezes da medo..KKKKKKKKKKK

José Carlos de Paula Luiz disse...

FALA MUQUIRAÇO...

MUITO BOM O TEXTO !!!

 
BlogBlogs.Com.Br